Carregando…

Como destruir uma relação sem perceber?

Como destruir uma relação sem perceber?

A maioria das pessoas vive, busca ou deseja ter boas relações com pessoas, seja no trabalho, na família ou especialmente no amor. Então, se desejamos a mesma coisa, como ela pode ser tão complicada?
 
 Ocorre que não funcionamos da mesma forma quando estamos nos relacionando com alguém e quando estamos sozinhos. Como diz uma amiga terapeuta: “Sozinho todo mundo é bom…junta com o outro pra ver?!”.
 
 Para entendermos melhor o que acontece conosco nas relações, precisamos nos conhecer melhor. Por isso, vou descrever alguns motivos que destroem silenciosamente nossas relações. Vale notar, que com pequenos ajustes, estes motivos cabem tanto nas relações domésticas (família, amigos) quando nos relacionamentos profissionais (colegas, superiores, subordinados, fornecedores..).
  
Um bom uso para este texto é utilizá-lo para se observar e se perceber. Logo você notará que quando as coisas precisam melhorar em uma relação, você pode mudar e também pode evitar fazer com que o outro sofra, especialmente quando você fere pessoas sem notar. E, para isso, só tem um caminho: você precisa de mais autoconhecimento. A boa notícia é que somos especialistas nisso e caso você deseje, sabemos como apoiá-lo.
 
 
Três motivos que destroem relações silenciosamente
 
 
A maioria das pessoas vive, busca ou deseja ter boas relações com pessoas, seja no trabalho, na família ou especialmente no amor. Então, se desejamos a mesma coisa, como ela pode ser tão complicada?
 
 Ocorre que não funcionamos da mesma forma quando estamos nos relacionando com alguém e quando estamos sozinhos. Como diz uma amiga terapeuta: “Sozinho todo mundo é bom…junta com o outro pra ver?!”.
 
 Para entendermos melhor o que acontece conosco nas relações, precisamos nos conhecer melhor. Por isso, vou descrever alguns motivos que destroem silenciosamente nossas relações. Vale notar, que com pequenos ajustes, estes motivos cabem tanto nas relações domésticas (família, amigos) quando nos relacionamentos profissionais (colegas, superiores, subordinados, fornecedores..). Eles não estarão listados em alguma ordem específica, apenas citados.
 
 Primeiro motivo - Não se posicionar.  Muitas pessoas tem essa característica em seu comportamento habitual. Ele normalmente se agrava, ou seja, a pessoa se omite mais, quando o assunto é mais tenso, mais sério. No começo da relação, é legal dar espaço para o outro, ceder, para ver como o outro faz escolhas, etc. Quando você começar a ser cobrado por isso, é por que já passou muito do ponto.
 
 Segundo motivo - Desconfiança. Algumas pessoas simplesmente não confiarão nos demais. Em seu subconsciente há uma informação de que assim que se descuidarem, serão enganados. Quando alguém monitora insistentemente seu companheiro, o que parece cuidado e atenção, logo vira um castigo. Afinal, você não casou com o oficial da condicional, ou casou?
  
Terceiro motivo - O superstar. Há pessoas que precisam e pedem reconhecimento e notoriedade, algumas vezes quase todo o tempo. Essa atitude pode vir disfarçada, ao contar histórias de sucesso, de conquistas. E ganha requintes de Holywood quando vem embalada em comentários de falsa humildade. Por exemplo, a pessoa fica uma semana quase sem dormir se dedicando para um teste, e depois comenta: “Acabei tirando dez, enquanto a maioria da turma ficou no 6 ou 7. Mas acho que tive sorte.” Aos poucos o companheiro começa a se incomodar com isso, pode também tornar-se mais competitivo, ou ainda, sentir que só o outro é bom, ele não, e nesse caso seria o pior dos mundos.
 
Repare que os três motivos são originados na personalidade da pessoa. Se você percebe que é assim, pode ser que os outros percebam mais ainda. Para encontrar o ponto, e melhorar suas relações, você precisa conhecer melhor a si mesmo e compreender o comportamento dos outros.
 
Uma ferramenta ótima para entender essas dinâmicas é o Eneagrama. A boa notícia é que somos especialistas nisso, e quando você quiser poderemos lhe ajudar.